background image
Resultados do 2T10 1



No 2º trimestre o Lucro Líquido atinge R$ 347 milhões e
EBITDA alcança R$ 872 milhões, acumulando no semestre
R$ 676 milhões e R$ 1,6 bilhão respectivamente
As vendas de produtos siderúrgicos cresceram 54% em relação ao 1S09, e atingiram
3,4 milhões de toneladas.
A receita líquida no 1S10 foi de R$ 6,6 bilhões e cresceu 30% quando comparada à do
1S09.
O EBITDA do 1S10 atingiu R$1,6 bilhão, o que representou um incremento de 233%
em relação ao do 1S09.
A margem EBITDA evoluiu 15 pontos percentuais em relação à do 1S09.
O lucro líquido do 1S10 foi de R$ 676 milhões, 273% acima do contabilizado no 1S09.
A posição de caixa em 30/06/10 era de R$ 3,7 bilhões.
O Índice dívida líquida/EBITDA em 30/06/10 era de 1,5 vez.
Os investimentos do 1S10 totalizaram R$ 1,5 bilhão, 100% superior ao do 1S09.
O valor de mercado da Companhia, em 30/06/10, era de R$ 24 bilhões.







Considerações Iniciais
PARA DIVULGAÇÃO IMEDIATA - Belo Horizonte, 29 de julho de 2010. A Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais S.A. - Usiminas
(BM&FBOVESPA: USIM3, USIM5, USIM6; OTC: USNZY; Latibex: XUSI; XUSIO) divulga hoje os resultados do segundo trimestre do
exercício de 2010 (2T10). As informações operacionais e financeiras da Companhia, exceto quando indicado de outra forma, são
apresentadas com base em números consolidados e em reais, em conformidade com o IFRS (International Financial Reporting
Standards) As comparações realizadas neste comunicado levam em consideração o mesmo período de 2009, exceto quando
especificado em contrário.
1T10
Índice Interativo
ÍNDICE
Valor de Mercado: R$ 24,4 bilhões
BM&FBOVESPA: USIM5 R$ 48,11/ação
USIM3 R$ 47,40/ação
EUA/OTC: USNZY US$ 27,49/ADR
Latibex: XUSI 22,31
XUSIO 22,32
Dados de Mercado - 30/06/10
· Resultados Consolidados
· Desempenho dos Negócios:
- Siderurgia
-
Mineração e Logística
- Siderurgia
- Transformação do Aço
- Bens de Capital
· Mercado de Capitais
· Fato Relevante do Trimestre
· Eventos Subsequentes
· Balanço, DRE e Fluxo de Caixa
2T10
R$ milhões
2T10
2T09
1T10
Var.
2T10/2T09
1S10
1S09
Var.
1S10/1S09
Produção aço bruto (mil t.)
1.937
944
1.820
105%
3.757
1.970
91%
Vendas Físicas (mil t.)
1.821
1.187
1.615
53%
3.436
2.231
54%
Receita Líquida
3.587
2.412
3.043
49%
6.629
5.082
30%
Lucro (Prejuízo) Líquido
347
335
329
3%
676
181
273%
EBITDA (a)
872
139
711
526%
1.582
476
233%
Margem EBITDA
24,3%
5,8%
23,4%
+ 18,5 p.p.
23,9%
9,4%
+ 14,5 p.p.
Investimentos
758
525
757
44%
1.515
756
100%
Caixa
3.668
2.809
2.571
31%
3.668
2.809
31%
(a) Resultado operacional antes dos juros, impostos, depreciações, amortizações e participações.
Destaques Consolidados
background image
Resultados do 2T10 2
2T10
2T09
1T10
1S10
1S09
MI
88%
85%
82%
85%
84%
ME
12%
15%
18%
15%
16%
Total
100%
100%
100%
100%
100%
Receita Líquida
Considerações iniciais
Pela primeira vez os resultados da Companhia são apresentados segundo a norma contábil em
conformidade com os IFRS (International Financial Reporting Standards).
De acordo com estas regras, no segundo trimestre deste exercício a receita líquida apurada foi
de R$ 3,6 bilhões, o lucro líquido, de R$ 347 milhões, e a geração de caixa medida pelo
EBITDA, de R$ 872 milhões, resultados estes substancialmente mais expressivos que os de
igual período do exercício anterior, sem dúvida favorecido pelo bom desempenho econômico
dos últimos trimestres.
As variações são ainda mais relevantes quando analisadas ao findar do semestre, e se, por um
lado, a recuperação econômica e da demanda por aços planos proporcionou a recuperação do
volume de vendas da Companhia, ainda que a base de comparação seja relativa a um período
de baixa atividade econômica como foi o primeiro semestre de 2009, por outro, enfrentamos
uma pressão maior sobre os custos, representada pelo expressivo aumento de uma das
principais matérias-primas utilizadas no processo siderúrgico
--
o minério de ferro
--,
o qual
já ultrapassa neste ano a 100%, além de outra rodada de reajuste prevista para o terceiro
trimestre.
Ademais, o reajuste no preço do carvão, outra importante matéria-prima do processo, trará
reflexos ainda maiores sobre a base de custos, e, como conseqüência, torna-se necessário
aumentar os preços dos produtos siderúrgicos, ajustando-os à nova realidade, sob pena de
comprometer a competitividade, os desembolsos dos investimentos em curso e os
programados, e a sustentabilidade dos negócios.
Não obstante os constantes desafios, a Usiminas continua a dar demonstrações de sua
determinação na consecução das estratégias traçadas pelos seus acionistas controladores:
Acaba de criar a Mineração Usiminas S.A., controlada da Companhia, possibilitando a
participação na nova empresa da Sumitomo Corporation, através da venda de 30% do capital
social mediante subscrição de novas ações. Além de criar uma empresa de classe mundial no
mercado de minério de ferro, esta medida cristaliza o valor do negócio de mineração no valor
de mercado da Usiminas, possibilita a participação da Sumitomo como investidor estratégico,
com larga experiência global na comercialização de minério de ferro, e equaliza as
necessidades de investimento na mineração.
Outra iniciativa inédita no mercado brasileiro de aços planos foi posta em prática pela Usiminas
por meio da celebração de contratos com alguns de nossos distribuidores, transformadores e
centros de serviços, com o objetivo de criar a "Rede Usiminas", uma rede de distribuição de
produtos com atuação em 15 estados do País. O objetivo é aumentar a competitividade e
eficiência na venda dos produtos e serviços da Companhia e de seus parceiros por meio de
maior capilaridade de distribuição e fortalecimento das empresas participantes da Rede, que
estarão capacitadas para melhor atender ao mercado.
Desempenho Econômico e Financeiro ­ Resultados Consolidados
Receita Líquida
A receita do 2T10 cresceu 18% em relação à do 1T10, alcançando R$ 3,6 bilhões, em
decorrência do maior volume vendido e do acréscimo nos preços médios praticados.
Na análise semestral, a receita acumulou R$ 6,6 bilhões, 30% superior à receita do 1S09, em
decorrência principalmente do maior volume de laminados vendidos.
background image
Resultados do 2T10 3
2T10
2T09
1T10
1S10
1S09
24,3%
5,8%
23,4%
23,9%
9,4%
Margem EBITDA
6.014
336
139
417
823
711
872
38,0%
12,6%
5,8%
14,6%
27,5%
23,4%
24,3%
0,0%
5,0%
10,0%
15,0%
20,0%
25,0%
30,0%
35,0%
40,0%
45,0%
50,0%
0
1000
2000
3000
4000
5000
6000
7000
8000
9000
2008
1T09
2T09
3T09
4T09
1T10
2T10
EBITDA (R$ milhões)
EBITDA (R$)
EBITDA Margem
Custos dos Produtos Vendidos (CPV)
O custo dos produtos vendidos totalizou R$ 2,8 bilhões no 2T10, contra R$ 2,3 bilhões no 1T10,
apresentando um crescimento de 18% devido ao maior volume de vendas e ao impacto do
aumento do custo de matérias-primas.
O CPV acumulado no 1S10 foi de R$ 5,1 bilhões, 11% acima do 1S09, resultado, basicamente, do
crescimento do volume de vendas no período.
A margem bruta da Companhia apresentou a seguinte evolução:
Despesas e Receitas Operacionais
As despesas/receitas operacionais do 2T10 cresceram 10% em relação ao 1T10, em razão da
reversão naquele trimestre (1T10) de perdas com ajuste de estoques a valor de mercado.
Na análise semestral, houve uma redução de cerca de R$ 67 milhões, basicamente pelo
reconhecimento de ajustes de estoques a valor de mercado, que gerou uma despesa de R$ 58
milhões no 1S09.
A margem operacional da Companhia apresentou o seguinte desempenho:
EBITDA
O EBITDA do 2T10 cresceu 23% em relação ao do 1T10, alcançando R$ 872 milhões, devido
ao maior volume vendido e melhores preços médios praticados no período.
O EBITDA do 1S10 de R$ 1,6 bilhão cresceu 233% se comparado ao alcançado no 1S09,
reflexo do aumento do volume vendido.
As margens estão indicadas conforme quadro abaixo:







2T10
2T09
1T10
1S10
1S09
23,0%
7,9%
23,0%
23,0%
9,7%
Margem Bruta
2T10
2T09
1T10
1S10
1S09
17,1%
-1,2%
16,6%
16,9%
0,4%
Margem Operacional
background image
Resultados do 2T10 4
R$ milhões
2T10
2T09
1T10
Var.
2T10/2T09
Var.
2T10/1T10
1S10
1S09
Var.
1S10/1S09
Efeitos Cambiais
(30.080)
582.881
(69.655)
-
-57%
(99.735)
595.011
-
Variação Cambial
(6.423)
582.506
(61.217)
-
-90%
(67.640)
617.771
-
Receitas (Despesas) de Hedge
(23.657)
375
(8.438)
-
180%
(32.095)
(22.760)
41%
Valor de Mercado das Operações de Swap (Lei 11.638)
(26.087)
8.156
17.218
-
-
(8.869)
(40.214)
-78%
Receitas Financeiras
81.267
85.739
64.310
-5%
26%
145.577
204.396
-29%
Despesas Financeiras
(142.459)
(113.860)
(121.333)
25%
17%
(263.792)
(263.687)
0%
Efeitos Monetários
(11.502)
(23.331)
(10.157)
-51%
13%
(21.659)
(59.593)
-64%
RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO
(128.861)
539.585 (119.617)
-
8%
(248.478)
435.913
-
Resultado Financeiro - Consolidado
Resultado Financeiro
As despesas financeiras líquidas do 2T10 cresceram cerca de R$ 9 milhões, ou 8%, acréscimo
este relacionado, dentre outros fatores, às despesas com hedge e marcação a mercado das
operações swap.
Na análise semestral, as despesas financeiras líquidas apuradas neste período contrastam com
as receitas apuradas em igual período de 2009, basicamente em razão dos efeitos cambiais
decorrentes da desvalorização do real frente ao dólar norte-americano de 3,5% ocorrida em
2010, contra uma valorização do real de 16,5% no 1S09.
Participação em Controladas
No 2T10 foi apurado um ganho de R$ 68 milhões, 26% superior ao do 1T10, decorrente
principalmente da participação da Ternium no valor de R$ 53 milhões.
Na comparação com o 1S09, o resultado obtido pela participação em controladas e coligadas foi
de receita de R$ 121 milhões, decorrente principalmente de ganhos da Ternium no valor de R$
92 milhões, contra uma despesa de R$ 87 milhões no 1S09.

Lucro Líquido
O lucro líquido do 2T10 totalizou R$ 347 milhões, um crescimento de cerca de 6% em relação ao
1T10, decorrente principalmente do maior volume de vendas e do acréscimo do preço médio em
6,7%.
Na comparação com o 1S09, o lucro líquido do 1S10 cresceu 273% e atingiu R$ 676 milhões,
devido ao maior volume de laminados vendidos, contrapondo-se às perdas financeiras
provenientes da desvalorização do real, dentre outros fatores.
Endividamento
A dívida bruta total em 30/06/10 somava R$ 7,8 bilhões, contra uma dívida de cerca de R$ 5,8
bilhões em 31/03/10. Por sua vez, a dívida líquida finalizou o trimestre em R$ 4,1 bilhões,
contra R$ 3,3 bilhões em 31/03/10. O índice divida líquida/EBITDA em 30/06/10 era de 1,5
vez.
No encerramento do trimestre a composição da dívida por moeda estava representada da
seguinte forma: 54% em moeda estrangeira e 46% em moeda nacional.
background image
Resultados do 2T10 5
3.225
179
255
479
714
276
238
217
216
416
215
215
162
443
199
401
631
680
447
325
553
148
825
Caixa
2010
2011
2012
2013
2014
2015
2016
2017
2018
2019
2020
a partir
de 2021
Moeda Local
Moeda Estrangeira
656
3.668
378
1.110
1.394
723
563
770
364
1.241
215
215
Duração da Dívida: R$: 63 meses
US$: 57 meses
162
31-mar-10
Curto Prazo
Longo Prazo
TOTAL
TOTAL
Moeda Estrangeira (*)
374.282
3.833.096
4.207.378
54%
3.662.729
15%
TJLP
162.746
449.884
612.630
-
582.922
5%
Debentures
18.948
1.100.000
1.118.948
-
1.120.230
0%
Tributos Parcelados
70.838
92.936
163.774
-
144.938
13%
FEMCO
7.211
289.569
296.780
-
261.822
13%
Outros
40.590
1.351.050
1.391.640
-
66.229
2001%
Moeda Nacional
300.333
3.283.439
3.583.772
46%
2.176.141
65%
ENDIVIDAMENTO TOTAL
674.615
7.116.535
7.791.150
100%
5.838.870
33%
CAIXA e APLICAÇÕES
-
-
3.667.540
-
2.570.600
43%
ENDIVIDAMENTO LÍQUIDO
-
-
4.123.610
-
3.268.270
26%
(*) 99% do total de moedas estrangeiras é US dolar
Empréstimos e Financiamentos por Indexador - Consolidado
R$ mil
30-jun-10
Var.
jun10/mar10
%
Perfil de Vencimentos
Saldo de Caixa -
R$ bilhões
3,7
Índice Dívida
Total/EBITDA
2,8
Índice Dívida
Líquida/EBITDA
1,5
Posição ­ 30/06/10
1
,
7
3
,
3
0
,
8
0
,
1
-
0
,
1
-
0
,
2
-
1
,
0
0
,
7
0
,
6
1
,
6
3
,
2
4
,
3
3
,
8
3
,
1
2
,
9
4
,
1
0,4 0,2 0,0 0,0 0,0-0,20,1 0,1 0,3 0,5 0,9 1,0
1,3
1,9 1,7 1,5
3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10
Dívida Líquida Consolidada / EBITDA
(R$)
DLC (R$ bi)
DLC/EBITDA
background image
Resultados do 2T10 6
R$ milhões
2T10
1T10
1S10
1S09
2T10
1T10
1S10
1S09
2T10
1T10
1S10
1S09
2T10
1T10
1S10
1S09
2T10
1T10
1S10
1S09
Receita Líquida de Vendas
277
158
435
193
3.274 2.821 6.095 4.380
720
597
1.317
956
375
292
667
427
3.586 3.043 6.629 5.082
Custo Produtos Vendidos
(70)
(66)
(136)
(68)
(2.822) (2.313) (5.135) (3.776) (580)
(490) (1.070) (859)
(332)
(247)
(579)
(346) (2.760) (2.343) (5.103) (4.084)
Lucro Bruto
207
92
299
125
452
508
960
604
140
107
247
97
43
45
88
81
826
700
1.526
998
(Despesas)/Receitas Operacionais
(17)
(18)
(35)
(29)
(122)
(132)
(254)
(705)
(51)
(23)
(74)
(129)
(24)
(21)
(45)
(34)
(214)
(194)
(408)
(897)
Lucro (Prej) Operacional antes
Financ.
190
74
264
96
330
376
706
(101)
89
84
173
(32)
19
24
43
47
612
506
1.118
101
EBITDA
198
81
279
110
563
552 1.115 193
100
99
199
(4)
26
31
57
57
871
711 1.582 447
MARGEM EBITDA
72%
51%
61%
57%
17%
20%
18%
4%
14%
17%
15%
0%
7%
11%
9%
13%
24%
23%
24%
9%
* Resultados contabilizados via participação em controladas.
Consolidado
Bens de Capital
Demonstração de Resultado por Unidades de Negócios - Pro-forma não auditado
Mineração e Logistica
Siderurgia
Transformação do aço
Conjuntura e Perspectivas
Economia e Mercado:
Depois de fortes ajustes de estoque no 1º trimestre, 2010 tem-se caracterizado como um
período de ampla recuperação econômica. As expectativas são positivas quanto a um
crescimento acelerado do mercado doméstico, que segue bastante aquecido.
O desempenho das unidades de negócio da Companhia estará diretamente influenciado pela
expansão da atividade econômica e, segundo dado recente do Banco Central do Brasil, estima-
se que haverá um crescimento da produção industrial da ordem de 12%, e ainda previsões
indicam uma expansão do PIB superior a 7% este ano.

Desempenho das Unidades de Negócios

As transações entre as Companhias são apuradas em valores e condições de mercado.


M I N E R A Ç Ã O e L O G Í S T I C A
Comentário dos Resultados do Segmento
A receita líquida no 2T10 alcançou R$ 277 milhões e foi superior em 75% quando comparada com
a do 1T10, em decorrência principalmente do aumento do volume vendido e do reajuste do
minério de ferro, que acompanhou a metodologia de precificação internacional.
As despesas operacionais mantiveram-se estáveis e o EBITDA do 2T10 foi superior em 144% ao
do 1T10, gerando uma margem de 72%.
Mineração e
Logística
Siderurgia
Transformação do
Aço
Bens de Capital
Ativos Minerários
Usina de Ipatinga
Unigal
Usiminas Mecânica
Participação na MRS* Usina de Cubatão
Soluções Usiminas
Terreno de Itaguaí
Participação na Ternium*
Automotiva Usiminas
Usiminas Consolidado
background image
Resultados do 2T10 7
Desempenho Operacional: em maio de 2010, alcançou-se um novo recorde: foram
produzidas 592 mil toneladas de minério, o que sinaliza que a meta de produção para 2010, no
montante de 7,0 milhões de toneladas, pode ser ultrapassada.
No 2T10, a produção de minério de ferro cresceu 14% quando comparada à do 1T10 e, em
relação ao 2T09, a produção do 2T10 apresentou um crescimento de 31%. A utilização de
minério próprio nas usinas de Ipatinga e de Cubatão continua evoluindo: na comparação com o
1S09, houve um aumento de 26% na transferência de produtos para as usinas.
No 2T10 não foram realizados embarques destinados à exportação.
As vendas totais e as transferências às usinas de Ipatinga e de Cubatão estão demonstradas
pelo quadro abaixo:
Criação da Mineração Usiminas ­ MUSA S.A.
Em 30/06/2010 a Usiminas anunciou a criação da Mineração Usiminas S.A. (MUSA) com a
transferência dos ativos minerários na região da Serra Azul, a participação em terminais de
embarque de minério na região da Serra Azul, 83,3% da participação que a Usiminas possui no
capital da MRS e o terreno localizado em Itaguaí, RJ (Porto). A expectativa é de criação de
aproximadamente 1.150 empregos diretos.
A Mineração Usiminas terá como parceiro estratégico o grupo japonês Sumitomo Corporation,
que, através de subscrição de novas ações pelo preço total de até US$ 1,929 bilhão, deterá 30%
do capital da nova empresa.
A Mineração Usiminas nascerá com grande potencial de crescimento na região da Serra Azul,
dado seu porte, disponibilidade de capital e função logística integrada.
Através da maior
integração da atividade de mineração e logística, em conjunto com garantia de fornecimento de
certa quantidade de minério à Usiminas, esse movimento é um passo importante na integração
da siderurgia ao minério, pretendida desde a aquisição dos ativos da J. Mendes.
Muitas sinergias serão capturadas com essa parceria estratégica com o grupo japonês Sumitomo
Corporation, dentre as quais podemos destacar:
Presença global;
Uma das maiores comercializadoras japonesas de commodities;
Conhecimento de mercado, principalmente China;
Atuação em negócios diversificados: mineração, logística, infraestrutura;
Investimentos/Perspectivas
Com vistas a contribuir ainda mais para o resultado consolidado do Grupo, a unidade de
mineração trabalha em projetos de otimização das três plantas existentes e na construção de
uma nova planta de beneficiamento de finos. Este investimento proporcionará um aumento
gradativo da produção nos próximos anos, e em 2015 a Usiminas espera atingir a capacidade de
produção de 29 milhões de toneladas. Os investimentos para o período entre 2010 e 2015 são
estimados em R$ 4,1 bilhões.
Mil toneladas
2T10
2T09
1T10
Var.
2T10/2T09
Var.
2T10/1T10
1S 2010
1S 2009
Var.
1S10/1S09
Produção
1.725
1.321
1.509
31%
14%
3.234
2.479
30%
Vendas
85
63
320
35%
-73%
405
232
75%
Transferências para as Usinas
1.438
1.008
1.372
43%
5%
2.810
2.235
26%
Total - Vendas + Transferências
1.523
1.071
1.692
42%
-10%
3.215
2.467
30%
Minério de Ferro
background image
Resultados do 2T10 8
2
2
2
2
2
2
5
5
6
4
4
4
2
5
18
22
7
8
10
11
25
29
2010
2011
2012
2013
2014
2015
Volume de produção (milhões de t.)
Pellet Feed
Sinter Feed
Granulado
Abaixo, os volumes de produção estimados para os próximos anos.
Logística ­ Participação na MRS
No 1º semestre de 2010 a MRS transportou 68,7 milhões de toneladas úteis de carga em geral,
dentre as quais minério de ferro, carvão/coque, produtos siderúrgicos, cimento e outros.
A MRS Logística é uma concessionária que controla, opera e monitora a Malha Sudeste da Rede
Ferroviária Federal. A empresa atua no mercado de transporte ferroviário, interligando os
Estados do Rio de Janeiro, de Minas Gerais e de São Paulo, e seu foco de atividades consiste no
transporte de cargas gerais, como minério, produtos siderúrgicos acabados, cimento, bauxita,
produtos agrícolas, coque verde de petróleo e contêineres com logística integrada.
Usiminas, Vale, MBR, Gerdau e CSN integram o Grupo de Acionistas que controla a MRS. A
Usiminas detém 20% do capital votante e participação no grupo de controle da Companhia.
S I D E R U R G I A

Mercado de Aços Planos
O mercado brasileiro de aços planos consumiu no 2T10 aproximadamente 3,9 milhões de
toneladas. Deste total, 80% do volume foram fornecidos pelas usinas locais e 20% foram
supridos por material importado. Já no 1S10 o consumo de aços planos no mercado interno
apresentou elevação de 76% perante igual período do ano passado, destacando-se a
recuperação de 62% nas vendas das usinas.
Os segmentos de consumo vêm apresentando taxas positivas de crescimento, com destaque
para a Indústria, com 20% de expansão. O segmento Automotivo e de Linha Branca, neste ano,
apresentam as menores taxas de crescimento.
No segmento da Indústria, destaque para o bom desempenho dos setores de Equipamentos
Industriais (+46%) e de Máquinas Rodoviárias (+36%). Os setores de Tubos de Grande
Diâmetro (+14%) e Naval (+151%) também começam a apresentar maior dinamismo.
Comentário dos Resultados do Segmento
O segmento de Siderurgia obteve no 2T10 uma receita líquida de R$ 3,3 bilhões, 16% superior
quando comparada com a do 1T10, destacando-se:
background image
Resultados do 2T10 9
2T06 3T06 4T06 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 4T09 1T10 2T10
Vendas Consolidadas (mil t)
Mercado Externo
Mercado Interno
69% 68% 67%
72%
76% 77%
81%
81%
87%
84%
78% 75%
78%
67% 71%
31%
32%
33%
28%
24%
23% 19%
19%
13% 16%
22%
25%
22%
33% 29%
2.028 1.971 1.992 1.936 1.980
1.980
2.094
1.886 1.917 1.915
1.458
1.044
1.187
1.694 1.703
73%
27%
1.615
79%
21%
1.821
maior volume de produtos laminados vendidos, que alcançou 1,8 milhão de toneladas,
13% acima do volume vendido no 1T10;
o preço médio por tonelada de laminado foi superior em cerca de 7% quando comparado
com o do 1T10, passando de R$ 1.660 para R$ 1.772;
aumento da participação das vendas no mercado interno (em tonelagem vendida).
A relação CPV/receita líquida passou de 82% no 1T10 para 86% no 2T10. Este acréscimo deveu-
se basicamente a:
acréscimo do custo com mão de obra referente a acordos sindicais assinados no 2T10;
aumento dos custos no trimestre relativos a minério de ferro e outras matérias primas
indexadas a dólar.
A redução do lucro bruto deu-se em função dos efeitos ocorridos no CPV e as Despesas e
Receitas Operacionais foram inferiores R$ 10 milhões, ou 8%, quando comparadas com as do
1T10, devido à compensação com ganhos de créditos tributários de PIS e Cofins.
O EBITDA do 2T10 atingiu R$ 563 milhões, 2% superior ao do 1T10. A margem recuou de 20%
no 1T10 para 17% no 2T10 devido ao aumento dos custos mencionados acima.
Desempenho Operacional
As vendas físicas totais da Usiminas no 2T10 cresceram 13% em relação às do 1T10, alcançando
o volume de 1,8 milhão de toneladas. Ao mercado interno (MI) foi destinado 1,4 milhão de
toneladas de produtos, correspondendo a um acréscimo de 23% quando comparado às vendas
ao MI no 1T10. Já as exportações decresceram 13% em relação às do 1T10 e representaram
21% das vendas do trimestre.
No acumulado do 1S10, as vendas físicas totalizaram 3,4 milhões de toneladas, 54% acima das
vendas do 1S09. O mix de destino situou-se em 76% ao MI e 24% às exportações.



background image
Resultados do 2T10 10
Chapas Grossas
1.631
1.575
1.712
1.570
1.860
2.475
2.993
2.486
2.112
Laminados a Quente
1.683
1.569
1.472
1.477
1.707
1.991
2.202
1.951
1.622
Laminados a Frio
1.919
1.740
1.671
1.539
1.862
2.058
2.391
2.151
1.836
Eletrogalvanizados
2.484
2.387
2.208
2.093
2.286
2.558
2.552
2.399
2.237
Galvanizados Imersão a quente
2.564
2.483
2.440
2.253
2.344
2.572
2.817
2.525
2.328
Produtos Processados
2.378
2.393
2.413
2.250
1.647
2.314
2.557
2.224
1.958
Placas
797
727
790
649
700
938
1.551
1.444
902
Total Geral
1.772
1.660
1.623
1.493
1.781
2.124
2.416
2.138
1.910
RS / ton.
3T08
1T09
2T08
Receita Líquida por Tonelada
2T10
2T09
4T08
3T09
4T09
1T10
País
Mil
Toneladas
Participação
%
China
60
16%
Tailândia
50
13%
Colômbia
45
12%
Taiwan
38
10%
Chile
31
8%
EUA
30
8%
Argentina
25
6%
Espanha
23
6%
Outros
83
22%
Total
385
100%
Exportação - Principais Mercados ­ 2T10
Mil toneladas
Mercado Interno
1.437
100%
923
100%
1.173
100%
2.610
100%
1.696
100%
Automotivo
451
32%
357
39%
406
35%
857
33%
633
37%
Industrial
305
21%
199
21%
230
20%
535
20%
358
21%
Grande Rede
681
47%
367
40%
537
45%
1.218
47%
705
42%
23%
11%
33%
86%
27%
56%
53%
Var.
2T10/1T10
26%
2T09
1T10
2T10
Var.
2T10/2T09
Distribuição de Vendas por Segmento - Consolidado
1S09
Var.
1S10/1S09
54%
73%
35%
49%
1S10
Mil toneladas
Var.
2T10/2T09
Var.
2T10/1T10
VENDAS FÍSICAS TOTAIS
1.821
100%
1.187
100%
1.615 100%
53%
13%
3.436
100%
2.231
100%
Chapas Grossas
381
21%
245
21%
323
20%
56%
18%
704
20%
491
22%
Laminados a Quente
577
32%
358
30%
512
32%
61%
13%
1.089
32%
667
30%
Laminados a Frio
495
27%
313
26%
482
30%
58%
3%
977
29%
582
26%
Eletrogalvanizados
63
3%
44
4%
53
3%
42%
18%
116
3%
75
3%
Galvaniz. Imersão a Quente
127
7%
107
9%
98
6%
19%
30%
225
7%
187
8%
Produtos Processados
40
2%
31
3%
32
2%
28%
24%
72
2%
66
3%
Placas
138
8%
89
7%
115
7%
55%
20%
253
7%
163
7%
MERC. INTERNO
1.437
79%
923
78%
1.173
73%
56%
23%
2.610
76%
1.696
76%
Chapas Grossas
244
14%
149
13%
166
10%
64%
47%
410
12%
269
12%
Laminados a Quente
527
29%
320
27%
428
27%
65%
23%
955
28%
607
27%
Laminados a Frio
436
24%
270
23%
396
25%
62%
10%
832
24%
477
21%
Eletrogalvanizados
58
3%
39
3%
47
3%
49%
24%
105
3%
67
3%
Galvaniz. Imersão a Quente
116
6%
91
8%
85
5%
27%
36%
201
6%
161
7%
Produtos Processados
27
1%
26
2%
23
1%
3%
16%
50
1%
52
2%
Placas
29
2%
28
2%
28
2%
3%
3%
57
2%
63
3%
MERC. EXTERNO
384
21%
264
22%
442
27%
46%
-13%
826
24%
535
24%
Chapas Grossas
137
8%
96
8%
157
10%
43%
-13%
294
9%
221
10%
Laminados a Quente
50
3%
38
3%
84
5%
33%
-40%
134
4%
60
3%
Laminados a Frio
58
3%
43
4%
86
5%
36%
-32%
144
4%
105
5%
Eletrogalvanizados
5
0%
5
0%
6
0%
-9%
-24%
11
0%
8
0%
Galvaniz. Imersão a Quente
12
1%
16
1%
13
1%
-26%
-9%
25
1%
27
1%
Produtos Processados
13
1%
5
0%
9
1%
158%
43%
22
1%
14
1%
Placas
109
5%
61
6%
87
5%
79%
26%
196
5%
100
4%
2T10
Var.
1S10/1S09
54%
44%
63%
68%
2T09
1S09
1S10
1T10
55%
20%
9%
56%
54%
52%
57%
74%
57%
25%
-4%
-10%
55%
33%
123%
38%
35%
-7%
57%
97%
Distribuição de Vendas por Produto - Consolidado







background image
Resultados do 2T10 11
Investimentos
Status
Nova coqueria -
nº3 (Ipatinga)
Fabricação dos equipamentos concluída.
Em fase de testes.
Start-up: 3T/2010.
Equipamentos em fase de fabricação.
Obras civis em andamento.
Start-up: 3T/2010.
Start-up: 4T/2012
Expansão do laminador -
aumento da produção para
1.350.000 t/ano.
R$ 1,050 bilhão
R$ 373 milhões
R$ 622 milhões
Nova Linha de
Tiras a Quente -
nº2 (Cubatão)
Produção de 2,3 milhões de
ton/ano (fase 1).
Chapas Grossas
(Ipatinga)
R$ 683 milhões
Objetivo
Capex do Projeto
Capex acumulado
do projeto até
Junho/2010
Produção de 750.000 t/ano.
R$ 707 milhões
Laminador, Forno de Reaquecimento e Laminador de
Encruamento: equipamentos contratados e em fase de projeto
detalhado e de fabricação.
Obras civis e Montagem: em andamento.
Fabricação das estruturas do edifício pela Usiminas Mecânica.
Start-up: 2T/2011
R$ 2,530 bilhões
R$ 951 milhões
Nova Linha de
Galvanização
(Ipatinga)
Produção de 550.000
ton/ano de galvanizados a
quente.
Obras civis e montagem do edifício em andamento.
Fabricação das estruturas do edifício em andamento pela
Usiminas Mecânica.
Início da Montagem da Linha: Abril 2010.
Start-up: 1T/2011.
R$ 914 milhões
Tecnologia de Resfriamento
Acelerado (CLC) para
atendimento a requisitos
dos projetos de exploração
do pré sal.
Produção Mundial
A produção mundial de aço bruto, segundo dados da World Steel Association, atingiu, até maio
de 2010, 586,1 milhões de toneladas, com crescimento de 30% em relação ao mesmo período
de 2009.
A China, que responde por 46% da produção mundial este ano, apresentava até aquele
momento expansão de 24%. Dentre os dez maiores produtores, destacam-se ainda as
elevadas taxas de crescimento da produção de Japão (+52%), EUA (+69%), Rússia (+24%),
Índia (+8%), Coréia do Sul (+28%), Alemanha (+67%), Ucrânia (+25%), Brasil (+57%) e
Itália (+38%). O Brasil foi o 9º maior produtor, responsável por 2,3% da produção mundial
nos cinco primeiros meses do ano.
Produção - Usinas de Ipatinga e Cubatão
No 2T10, comparado ao volume de produção do 1T10, houve um crescimento de 6% da
produção de aço bruto nas usinas de Ipatinga e de Cubatão, alcançando 1,9 milhão de
toneladas.
Com relação aos resultados do 1S10, esta evolução mostra-se ainda mais expressiva, 91%,
em razão da parada dos altos-fornos no mesmo período de 2009.
O volume de produção de laminados foi de 1,9 milhão no 2T10 e de 3,7 milhões de toneladas
no 1S10, um incremento de 7% e 74%, respectivamente, quando comparados aos mesmos
períodos de 2009.
Plano de Investimentos (Capex)
Os investimentos no imobilizado no 2T10 somaram R$ 758 milhões. A situação atual dos
principais projetos de investimento está detalhada abaixo:

Mil toneladas
2T10
2T09
1T10
Var.
2T10/2T09
Var.
2T10/1T10
1S10
1S09
Var.
1S10/1S09
Usina de Ipatinga
987
592
960
67%
3%
1.947
1.087
79%
Usina de Cubatão
950
352
860
170%
10%
1.810
883
105%
Total
1.937
944
1.820
105%
6%
3.757
1.970
91%
Produção (Aço Bruto)
background image
Resultados do 2T10 12
Participação na Ternium
A Ternium é uma das maiores produtoras de aço das Américas, ofertando larga gama de
produtos, entre aços planos e longos. A Empresa conta com unidades operacionais no México
(Hylsa e IMSA), na Argentina (Siderar) e nos Estados Unidos (Ternium USA) e possui uma
vasta rede de distribuição.
A Usiminas participa com 14,25% do capital total da Ternium, da qual é sócia com o grupo
Techint.
Os resultados da Ternium são contabilizados na Usiminas com um trimestre de defasagem e os
resultados relativos ao 2T10 serão divulgados somente em 03/08/10.
T
R A N S F O R M A Ç Ã O D O A Ç O
Comentário dos Resultados do Segmento
A receita líquida foi 21% superior quando comparada à do 1T10. Contribuíram para este
acréscimo a Soluções Usiminas, em R$ 105 milhões, ou 23%; a Automotiva, R$ 8 milhões, ou
12%, e a Unigal, R$ 9 milhões, ou 21%.
A relação CPV/RL obteve uma melhora, passando de 82% para 81% e as despesas e receitas
operacionais tiveram um aumento quando comparadas com as do 1T10, justificado pela
reversão da provisão a valor de mercado dos estoques, principalmente nas Soluções Usiminas,
naquele trimestre.
O EBITDA do 2T10 atingiu R$ 100 milhões, ligeiramente superior ao apurado no 1T10. A
margem de 17% no 1T10 decresceu para 14% no 2T10.
Unigal
A Unigal é uma joint venture da Usiminas (70% de participação) e da Nippon Steel (30% de
participação) destinada a processar bobinas galvanizadas por imersão a quente.
Seu principal investimento tem por objetivo aumentar em 550 mil toneladas a capacidade de
produção atual de 480 mil toneladas por ano, para atender à necessidade de acréscimo da
oferta de serviços de galvanização, suportando o crescimento da demanda por tais produtos,
principalmente oriundos da indústria automotiva, de eletroeletrônicos e da construção civil. A
previsão de entrada em operação no 1º trimestre de 2011 se mantém. No 2T10 foram
investidos em sua construção aproximadamente R$ 150 milhões.
Soluções Usiminas
A Soluções Usiminas atua nos mercados de distribuição, serviços e tubos do País, oferecendo a
seus clientes produtos de alto valor agregado. Com capacidade de processar mais de 2 milhões
de toneladas de aço por ano, suas 14 unidades industriais, estrategicamente distribuídas nos
Estados de Rio Grande do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Pernambuco, atendem
os segmentos automobilístico, de autopeças, de construção civil, de distribuição,
eletroeletrônico, de máquinas e equipamentos, utilidades domésticas e outros.
Destaque:
Usiminas lança rede de distribuição exclusiva de seus produtos:
Formada inicialmente por 10 empresas, a Rede Usiminas atuará em todo o Brasil, através de
15 estados, em distribuição, beneficiamento e transformação de aço. A parceria será firmada
através de contratos de cooperação comercial. As empresas participantes da Rede contarão
com atendimento diferenciado, dispondo de melhor assistência técnica ao cliente final,
treinamentos e inteligência comercial da Usiminas. As sinergias a serem geradas por meio da
Rede Usiminas permitirão somar valor aos negócios de todos os elos dessa cadeia.
background image
Resultados do 2T10 13
Automotiva Usiminas
A unidade automotiva destaca-se na produção de conjuntos completos e de cabines pintadas
na cor final, e está dividida nos seguintes setores de processo:
Engenharia de desenvolvimento do produto;
Parcerias com ferramentarias;
Desenvolvimento e produção de estampados;
Desenvolvimento e produção de subconjuntos soldados;
Pintura Completa -- e-coat (KTL), surfacer e esmalte;
Montagem final dos itens de acabamento dos veículos;
Integração logística.
Perspectivas:
Dentro do processo de reorientação e crescimento da Usiminas, a meta é atingir um
faturamento de R$ 1,0 bilhão em 2014. Além de acompanhar o crescimento das operações dos
atuais clientes, pretende conquistar novos serviços, agregando valor ao aço fornecido pelas
usinas, transformando as chapas em produtos como cabinas e componentes de caminhões,
ônibus e comerciais leves e pequenas peças para veículos leves, produzidos por sua unidade
de Pouso Alegre ­ MG.
Destaques:
2T10: Crescimento do mercado de caminhões, em decorrência da manutenção dos incentivos
do governo.
1S10: Inauguração da linha de pintura: Inauguração da linha de montagem de um novo
produto no segmento automotivo, o que gera um faturamento de aproximadamente R$ 120
milhões.

B E N S DE C A P I T A L
Comentário dos Resultados do Segmento
O segmento Bens de Capital obteve no 2º trimestre uma receita líquida de R$ 375 milhões,
28% superior quando comparado com o 1º trimestre de 2010.
O EBITDA do 2T10 totalizou R$ 26 milhões, valor R$ 5 milhões abaixo do registrado no 1T10.
Esta diferença deve-se ao acréscimo dos custos incorridos em contratos sem os respectivos
repasses nos preços de vendas que serão reconhecidos nos próximos trimestres, depois da
assinatura dos aditivos contratuais.
Usiminas Mecânica S.A.
Braço do Grupo no setor de bens de capital, a Usiminas Mecânica figura entre as maiores
empresas de bens de capital do Brasil.
A empresa atua por áreas de negócios, a saber:
Estruturas e Pontes Metálicas
Equipamentos Industriais
Montagens Industriais
Blanks e Estampagem
background image
Resultados do 2T10 14
Fundição, Forjaria e Vagões Ferroviários
Unidade Epcista em Siderurgia
Unidade Epcista em Óleo & Gás

Dentre os vários mercados em que a empresa atua, o foco atualmente está voltado para os
seguintes segmentos:
Naval, Óleo & Gás: avança na implementação de sua estratégia em atender o mercado
Offshore com o fornecimento de blocos navais de pequeno porte para embarcações
Platform Supply Boat e Rebocadores, desenvolvendo know-how para projetos maiores;
Siderurgia e Mineração: busca soluções integradas e projetos turn key com a Unidade
Epcista em Siderurgia. Já possui em carteira o Sistema de Desgaseificação a Vácuo da
usina de Ipatinga;
Infraestrutura: reconhecida neste segmento, atuará nos eventos esportivos da Copa do
Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016, através de obras em estádios, passarelas,
viadutos, edifícios-garagem, aeroportos e shopping centers;
Energia Elétrica: capacitada a fornecer equipamentos para Usinas Hidroelétricas e PCHs,
Tem em sua carteira projetos para o Complexo do Rio Madeira (UHE Santo Antônio e UHE
Jirau) e buscará novos empreendimentos, como a UHE Belo Monte;
Papel e Celulose: detém tecnologia de fabricação de equipamentos pesados, para
atender, por exemplo, a demanda do Projeto Eldorado, que entrará em operação no final
de 2012, em Mato Grosso do Sul, e será a maior fábrica do mundo de produção de papel
e celulose.
Os principais contratos em execução na empresa estão dentro dos prazos estabelecidos com
os clientes, a saber:
Fabricação das Torres e Tancagem da Refinaria do Nordeste (RNEST);
Fabricação das estruturas metálicas para o prédio da Aciaria da Vallourec & Sumitomo em
Jeceaba;
Fabricação das estruturas metálicas do novo laminador de tiras a quente (LTQ) da
Usiminas/Cubatão;
Montagem eletromecânica dos projetos para a Usiminas: Coqueria n. 3, em Ipatinga (em
fase de conclusão ), Unigal em Ipatinga, Novo LTQ em Cubatão.
Complexo das obras do Metrô do Rio de Janeiro, constituído de uma ponte em arco sobre
a Av. Francisco Bicalho, uma passarela sobre a Av. Presidente Vargas e a Estação Cidade
Nova.
Investimentos
Fundição: em processo de expansão e modernização, com previsão de conclusão até o 3º
trimestre de 2011.
Os equipamentos das linhas de moldagem manual e automatizada já foram contratados e
estão em fase de fabricação.



background image
Resultados do 2T10 15
2T10
2T09
Var.
2T10/2T09
1T10
Var.
2T10/1T10
Número de Negócios
394.257
371.733
6%
321.398
23%
Média Diária
6.359
6.094
4%
5.357
19%
Quantidade Negociada - mil ações
188.530
227.487
-17%
152.400
24%
Média Diária
3.041
3.729
-18%
2.540
20%
Volume Financeiro - R$ milhões
9.660
8.098
19%
7.851
23%
Média Diária
156
133
17%
131
19%
Cotação Máxima
63,06
43,44
45%
60,92
4%
Cotação Mínima
41,91
28,52
47%
46,15
-9%
Cotação Unitária Final
48,11
41,61
16%
60,92
-21%
Quantidade Ações
506.893
506.893
0%
506.893
0%
Valor de Mercado - R$ milhões
24.387
21.092
16%
30.880
-21%
Resumo do Desempenho da Usiminas na BM&FBOVESPA (USIM5)
USIM5 e USIM3 versus Ibovespa
De (base 100) 30/12/2009 a 30/06/2010
80
90
100
110
120
130
dez/09
jan/10
fev/10
mar/10
abr/10
mai/10
jun/10
IBOVESPA
USIM5
USIM3
97,4
94,6
88,8
Mercado de Capitais

Desempenho na BM&FBOVESPA
A ação ordinária (USIM3) da Usiminas encerrou o semestre cotada a R$47,40 e a ação
preferencial (USIM5), cotada a R$ 48,11. A desvalorização no segundo trimestre foi,
respectivamente, 24,0% e 21,0%. No mesmo período, o Ibovespa registrou desvalorização de
14%. Em 30/06/10, o valor de mercado da Usiminas era de R$ 24,4 bilhões. No semestre as
desvalorizações dos papéis da Usiminas foram inferiores a do Ibovespa, como pode ser
verificado no gráfico abaixo.










Bolsas Estrangeiras
NASDAQ ­ Nova York
As ações ordinárias e preferenciais da Usiminas são negociadas nos Estados Unidos, como ADR
Nível 1 no mercado de balcão (over-the-counter ­ OTC). Em 30/06/10 a ação USNZY
(preferencial ­ PNA), de maior liquidez, estava cotada a US$ 27,49 e apresentou uma
desvalorização no trimestre de 19%.
background image
Resultados do 2T10 16
Latibex ­ Madri
Em 30/06/10, a ação XUSI (preferencial) encerrou o trimestre cotada a 22,31 e apresentou
desvalorização de 11,0%. A ação XUSIO (ordinária) encerrou cotada a 22,32, com
desvalorização de 13%.
Fato Relevante do Trimestre

Criação da Mineração Usiminas S.A.
Dando continuidade ao plano de otimização e agregação de valor aos negócios relacionados à
exploração de minério de ferro e atividades de logística relacionadas, em 30/06/10, a Usiminas
divulgou um Fato Relevante ao mercado, anunciando a implementação de operações, criando a
Mineração Usiminas S.A. ­ MUSA S.A. e outras medidas cujo detalhamento está descrito na
seção Mineração e Logística.
Evento Subsequente ao Fechamento do Trimestre
Comunicado ao Mercado ­ Criação da Rede Usiminas
Em 15/07/10, a Usiminas divulgou por meio de Comunicado ao Mercado a celebração de
contratos com alguns de seus distribuidores, transformadores e centros de serviços, com o
objetivo de criar a Rede Usiminas, uma rede de distribuição de produtos com atuação em 15
estados do País.
Iniciativa inédita no mercado brasileiro de aços planos, a Rede Usiminas busca aumentar a
competitividade e eficiência na venda dos produtos e serviços da Companhia e de seus parceiros
por meio de maior capilaridade de distribuição e fortalecimento das empresas participantes da
Rede, que estarão capacitadas para melhor atender ao mercado e que disporão inclusive de
assistência técnica e treinamentos oferecidos pela Usiminas por força da parceria.

background image
Resultados do 2T10 17
Para mais informações:
Financial Investor Relations Brasil Banco Custodiante das Ações
ADR ­ Banco Depositário
Lígia Montagnani ­ Consultora
Departamento de Acionistas
Tel.: (55 11) 3897-6405
Fone: 00X11 ­ 3684-9495
ligia.montagnani@firb.com
Visite o site de Relações com Investidores: www.usiminas.com/ri
ou acesse pelo seu celular: m.usiminas.com/ri








Declarações contidas neste comunicado relativas às perspectivas dos negócios, projeções de resultados operacionais e financeiros e
referências ao potencial de crescimento da Companhia constituem meras previsões, baseadas nas expectativas da Administração em
relação ao seu desempenho futuro. Essas expectativas são altamente dependentes do comportamento do mercado, da situação
econômica do Brasil, da indústria e dos mercados internacionais, portanto sujeitas a mudanças.
Horário em Brasília: às 11:30h
Telefone para conexão:
Brasil: (11) 4688.6361
Senha de acesso ao replay: 47205 português
2T10 Teleconferência de Resultados - Data 29/07/2010
Horário em Nova York: às 10:30h
Telefone para conexão:
Veja apresentação de slides no website: www.usiminas.com/ri
EUA: (1 888) 700.0802
Senha de acesso ao replay: 47206 inglês
Em Português - Tradução Simultânea para Inglês
O áudio da teleconferência será transmitido ao vivo pela internet
Audio replay disponível pelo telefone (11) 4688.6312
Demais países: (1 786) 924.6977
Bruno Seno Fusaro
bruno.fusaro@usiminas.com
31-3499-8772
Gilson Rodrigues Bentes
gilson.bentes@usiminas.com
31-3499-8617
Matheus Perdigão Rosa
matheus.rosa@usiminas.com
31-3499-8056
Diogo Dias Gonçalves
diogo,goncalves@usiminas.com
31-3499-8710
Luciana Valadares dos Santos
luciana.santos@usiminas.com
31-3499-8619
SUPERINTENDÊNCIA DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES
background image
Resultados do 2T10 18
Ativo
30/jun/10
31/mar/10
Circulante
10.705.409
9.154.245
Disponibilidades
3.667.540
2.570.600
Contas a Receber de clientes
2.297.743
2.123.829
Impostos a Recuperar
451.189
433.062
Estoques
3.998.908
3.719.681
Adiantamento a fornecedores
70.466
72.611
Instrumentos financeiros derivativos
27.058
38.951
Demais contas a receber
192.505
195.511
Realizável a Longo Prazo
1.151.353
1.179.234
Imposto de renda e Contrib. Social diferidos
290.752
341.552
Depósitos Judiciais
331.669
323.289
Valores a Receber de Empresas Ligadas
6.864
7.064
Impostos a Recuperar
253.093
275.542
Instrumentos financeiros derivativos
216.144
171.918
Outros
52.831
59.869
Permanente
16.953.668
16.271.037
Investimentos
2.075.554
2.000.466
Imobilizado
13.124.034
12.525.978
Intangível
1.754.080
1.744.593
Total do Ativo
28.810.430
26.604.516
Balanço Patrimonial - Ativo - Consolidado
IFRS - R$ mil
30/jun/10
31/mar/10
3.182.114
3.347.269
Empréstimos, financiamentos e debêntures
667.404
614.472
Fornecedores, Empreiteiros e Fretes
1.116.304
986.027
Impostos, taxas, contribuições, salários e encargos
504.114
468.005
Valores a Pagar a Sociedades Ligadas
75.961
88.887
Instrumentos Financeiros Derivativos
56.810
73.186
Dividendos a Pagar
2.617
348.518
Adiantamento de clientes
320.410
359.466
Demais contas a pagar
438.494
408.708
8.766.904
6.777.037
Empréstimos, financiamentos e debêntures
6.826.966
4.962.576
Benefícios de aposentadoria (Passivo Atuarial)
1.064.781
1.017.778
Provisão para contingências
368.820
369.672
Instrumentos Financeiros Derivativos
305.402
216.460
Provisão para Recuperação Ambiental
95.373
92.834
Demais contas a pagar
105.562
117.717
376.938
368.947
16.484.474
16.111.263
Capital Social
12.150.000
12.150.000
Reservas e Lucros Acumulados
4.334.474
3.961.263
28.810.430
26.604.516
Balanço Patrimonial - Passivo - Consolidado
IFRS - R$ mil
Patrimônio Líquido dos acionistas controladores
Total do Passivo e do Patrimônio Líquido
Participação dos acionistas não controladores
Passivo
Circulante
Exigível a Longo Prazo
background image
Resultados do 2T10 19
R$ mil
2T10
2T09
1T10
Var.
2T10/2T09
Receita Líquida de Vendas
3.586.635
2.411.787
3.042.799
49%
Mercado Interno
3.149.628
2.047.367
2.508.448
54%
Mercado Externo
437.007
364.420
534.351
20%
Custo dos Produtos Vendidos
(2.760.288)
(2.222.253)
(2.342.919)
24%
Lucro Bruto
826.347
189.534
699.880
336%
Margem Bruta
23,0%
7,9%
23,0%
+ 15,1 p.p.
(Despesas) Receitas Operacionais
(213.444)
(217.480)
(194.264)
-2%
Vendas
(96.581)
(65.899)
(75.455)
47%
Gerais e Administrativas
(122.472)
(122.020)
(123.460)
0%
Outras (Despesas) Receitas
5.609 (29.561)
4.651
-
Lucro Operacional antes das Desp.Fin.
612.903 (27.946)
505.616
-
Margem Operacional
17,1%
-1,2%
16,6%
+ 18,3 p.p.
(Despesas) Receitas Financeiras
(128.861)
539.585 (119.617)
-
Receitas Financeiras
86.706 (63.012)
74.152
-
Despesas Financeiras
(215.567)
602.597 (193.769)
-
Participação em Controladas
67.551
2.933
53.588
2203%
Lucro (Prejuízo) Operacional
551.593
514.572
439.587
7%
Imposto de Renda / Contribuição Social
(204.809)
(179.462)
(110.801)
14%
Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício
346.784
335.110
328.786
3%
Margem Líquida
9,7%
13,9%
10,8%
- 4,2 p.p.
Atribuível:
Aos acionistas controladores
338.752
332.771
318.906
2%
Aos acionistas não controladores
8.032
2.339
9.880
243%
EBITDA
871.783
139.224
710.677
526%
Margem EBITDA
24,3%
5,8%
23,4%
+ 18,5 p.p.
Depreciação e amortização
200.466
193.546
199.981
4%
Provisões
58.415 (26.376)
5.080
-
Demonstração do Resultado Trimestral - Consolidado
IFRS
R$ mil
1S10
1S09
Var.
1S100/1S09
Receita Líquida de Vendas
6.629.434
5.082.063
30%
Mercado Interno
5.658.076
4.263.058
33%
Mercado Externo
971.358
819.005
19%
Custo dos Produtos Vendidos
(5.103.207)
(4.587.645)
11%
Lucro Bruto
1.526.227
494.418
209%
Margem bruta
23,0%
9,7%
+ 13,3 p.p.
(Despesas) Receitas Operacionais
(407.708)
(474.480)
-14%
Vendas
(172.036)
(134.549)
28%
Gerais e Administrativas
(245.932)
(222.071)
11%
Outras (Despesas) Receitas
10.260 (117.860)
-
Lucro Operacional antes das Desp.Fin.
1.118.519
19.938
5510%
Margem Operacional
16,9%
0,4%
+ 16,5 p.p.
(Despesas) Receitas Financeiras
(248.478)
435.913
-
Receitas Financeiras
160.858
50.159
221%
Despesas Financeiras
(409.336)
385.754
-
Participação em Controladas
121.139 (86.860)
-
Lucro (Prejuízo) Operacional
991.180
368.991
169%
Imposto de Renda / Contribuição Social
(315.610)
(188.014)
68%
Lucro (Prejuízo) Líquido
675.570
180.977
273%
Margem Líquida
10,2%
3,6%
+ 6,6 p.p.
Atribuível:
Aos acionistas controladores
657.658
182.448
260%
Aos acionistas não controladores
17.912 (1.471)
-
EBITDA
1.582.460
475.520
233%
Margem EBITDA
23,9%
9,4%
+ 14,5 p.p.
Depreciação e amortização
400.447
411.439
-3%
Provisões
63.495
44.143
44%
Demonstração do Resultado - Consolidado - Acumulado
IFRS

background image
Resultados do 2T10 20

R$ mil
2T10
2T09
Fluxos de Caixa das Atividades Operacionais
Lucro Líquido do Exercício
346.784
335.110
Encargos e Var. Monetárias/Cambiais líquidas
48.466
(693.867)
Despesas de Juros
87.222
100.008
Depreciação e Amortização
200.466
193.545
Baixa de Imobilizado e Diferido
(1.215)
(38.159)
Participações em Controladas e Coligadas
(67.551)
(2.933)
Imposto de Renda e Contribuição Social diferidos
55.916
33.209
Constituição (reversão) de Provisões
72.814
(9.668)
Total
742.902
(82.755)
(Acréscimo)/Decréscimo de Ativos
Títulos e Valores Imobiliários
639
173.962
Em Contas a Receber
(173.914)
136.294
Nos Estoques
(279.227)
692.000
Impostos a Recuperar
4.321
281.665
Depósitos Judiciais
(10.231)
(31.406)
Contas a Receber de Empresas Ligadas
200
(2.306)
Outros
(1.028)
51.354
Total
(459.240)
1.301.563
Acréscimo/(Decréscimo) de Passivos
Fornecedores, Empreiteiros e Fretes
130.277
108.603
Valores a Pagar a Sociedades Ligadas
(21.482)
(10.658)
Adiantamentos de Clientes
(39.056)
9.402
Tributos a Recolher
(28.727)
(14.039)
Imposto de Renda e Contribuição Social
13.990
(62.069)
Juros Pagos
(71.844)
(92.965)
Pagamento de Passivo Atuarial
(35.917)
(73.852)
Outros
107.641
54.167
Total
54.882
(81.411)
Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais
338.544 1.137.397
Fluxos de caixa das Atividades de Investimentos
(Adições) Baixa de investimentos
0
0
(Adições) baixa do Imobilizado
(757.384)
(523.482)
(Adições) baixa do Intangível
(260)
(2.597)
Juros Capitalizados
0
(77.165)
Aquisição da Controlada Zamprogna menos Caixa Líq.
0
7.185
Dividendos Recebidos
42.129
16.925
Caixa Líquido Aplicado nas Atividades de Investimentos
(715.515) (579.134)
Fluxos de Caixa das Atividades de Financiamentos
Ingressos de Emprést., Financiam. e Debêntures
1.889.279
176.090
Pagamentos de Emprést., Financ. e Debênt.
(61.664)
(451.642)
Pagamaneto de tributos parcelados
(8.844)
(2.741)
Resgate de Operações de Swap
1.303
(44.662)
Dividendos e Juros sobre Capital Próprio
(345.524)
(567.283)
Caixa Líquido Proveniente das (Aplicado nas) Atividades de Financiamentos
1.474.550 (890.238)
Aumento (redução) Líquido de Caixa e Equivalentes de Caixa
1.097.579 (331.975)
Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Exercício
1.536.702
2.209.661
Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Exercício
2.634.281
1.877.686
RECONCILIAÇÃO COM A LINHA DE DISPONIBILIDADES NO BALANÇO PATRIMONIAL
Saldo inicial Caixa
1.536.702
2.209.661
Saldo inicial de Títulos e valores mobiliários
1.033.898
1.105.634
Disponibilidades no início do exercício
2.570.600
3.315.295
Aumento (redução) líquido de caixa e equivalentes de caixa
1.097.579
(331.975)
Aumento (redução) líquido de títulos
(639)
(173.962)
Saldo final Caixa
2.634.281
1.877.686
Saldo final de Títulos
1.033.259
931.672
Disponibilidades no final do exercício
3.667.540
2.809.358
Fluxo de Caixa - Consolidado
IFRS
background image
Resultados do 2T10 21
R$ mil
1S10
1S09
Fluxos de Caixa das Atividades Operacionais
Lucro Líquido do Exercício
675.570
180.977
Encargos e Var. Monetárias/Cambiais líquidas
115.231
(650.760)
Despesas de Juros
157.163
215.520
Depreciação e Amortização
400.447
411.439
Baixa de Imobilizado e Diferido
2.590
11.209
Participações em Controladas e Coligadas
(121.138)
86.860
Imposto de Renda e Contribuição Social diferidos
2.419
(28.538)
Constituição (reversão) de Provisões
117.931
20.526
Total
1.350.213
247.233
(Acréscimo)/Decréscimo de Ativos
Títulos e Valores Imobiliários
(48.408)
152.091
Em Contas a Receber
(504.600)
68.668
Nos Estoques
(361.705)
995.963
Impostos a Recuperar
4.287
161.398
Depósitos Judiciais
(19.761)
(29.460)
Contas a Receber de Empresas Ligadas
480
(1.898)
Outros
374
60.296
Total
(929.333)
1.407.058
Acréscimo/(Decréscimo) de Passivos
Fornecedores, Empreiteiros e Fretes
301.018
(181.688)
Valores a Pagar a Sociedades Ligadas
(19.771)
(24.560)
Adiantamentos de Clientes
122.865
2.571
Tributos a Recolher
62.196
31.546
Imposto de Renda e Contribuição Social
17.721
(442.615)
Juros Pagos
(197.021)
(229.564)
Pagamento de Passivo Atuarial
(72.774)
(73.852)
Outros
117.138
(45.289)
Total
331.372
(963.451)
Caixa Líquido Proveniente das Atividades Operacionais
752.252 690.840
Fluxos de caixa das Atividades de Investimentos
(Adições) Baixa de investimentos
(32.527)
20.482
(Adições) baixa do Imobilizado
(1.514.535)
(756.931)
(Adições) baixa do Intangível
(2.331)
693
Juros Capitalizados
0
(77.165)
Aquisição da Controlada Zamprogna menos Caixa Líq.
0
(46.709)
Dividendos Recebidos
42.795
30.820
Caixa Líquido Aplicado nas Atividades de Investimentos
(1.506.598) (828.810)
Fluxos de Caixa das Atividades de Financiamentos
Ingressos de Emprést., Financiam. e Debêntures
2.132.010
931.333
Pagamentos de Emprést., Financ. e Debênt.
(431.703)
(1.091.373)
Pagamaneto de tributos parcelados
(20.433)
(5.336)
Resgate de Operações de Swap
(9.318)
(133.671)
Dividendos e Juros sobre Capital Próprio
(380.125)
(609.538)
Caixa Líquido Proveniente das (Aplicado nas) Atividades de Financiamentos
1.290.431 (908.585)
Aumento (redução) Líquido de Caixa e Equivalentes de Caixa
536.085 (1.046.555)
Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Exercício
2.098.196
2.924.241
Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Exercício
2.634.281
1.877.686
RECONCILIAÇÃO COM A LINHA DE DISPONIBILIDADES NO BALANÇO PATRIMONIAL
Saldo inicial Caixa
2.098.196
2.924.241
Saldo inicial de Títulos e valores mobiliários
984.851
1.083.763
Disponibilidades no início do exercício
3.083.047
4.008.004
Aumento (redução) líquido de caixa e equivalentes de caixa
536.085
(1.046.555)
Aumento (redução) líquido de títulos
48.408
(152.091)
Saldo final Caixa
2.634.281
1.877.686
Saldo final de Títulos
1.033.259
931.672
Disponibilidades no final do exercício
3.667.540
2.809.358
Fluxo de Caixa - Consolidado
IFRS
background image
Resultados do 2T10 22
Ativo
IFRS
Ajuste
Societário *
Circulante
10.705.409 (119.429) 10.824.838
Disponibilidades
3.667.540
-
3.667.540
Contas a Receber de clientes
2.297.743
-
2.297.743
Impostos a Recuperar
451.189
-
451.189
Estoques
3.998.908
-
3.998.908
Adiantamento a fornecedores
70.466
-
70.466
Instrumentos Financeiros Derivativos
27.058
-
27.058
Imposto de renda e contrib. social diferidos
-
(119.429)
119.429
Dividendos a receber
15.348
-
15.348
Demais contas a receber
177.157
-
177.157
Não Circulante
18.105.021 194.647 17.910.374
Realizável a Longo Prazo
1.151.353
(276.765)
1.428.118
Imposto de renda e contrib. social diferidos
290.752
(276.765)
567.517
Depósitos Judiciais
331.669
-
331.669
Valores a Receber de Empresas Ligadas
6.864
-
6.864
Impostos a Recuperar
253.093
-
253.093
Instrumentos Financeiros Derivativos
216.144
-
216.144
Outros
52.831
-
52.831
Permanente
16.953.668
471.412
16.482.256
Investimentos
2.075.554
79.801
1.995.753
Imobilizado
13.124.034
371.123
12.752.911
Intangível
1.754.080
20.488
1.733.592
Total do Ativo
28.810.430 75.218 28.735.212
* Não auditado e de acordo com os CPC's vigentes em 2009
30/jun/10
Balanço Patrimonial - Ativo - Consolidado
R$ mil
background image
Resultados do 2T10 23







IFRS
Ajuste
Societário *
3.182.114 (155.318) 3.337.432
Empréstimos, Financiam. e Debêntures
667.404
-
667.404
Fornecedores, Empreiteiros e Fretes
1.116.304
-
1.116.304
Impostos, Taxas, Contribuições, Salários e Encargos
504.114
(55.994)
560.108
Valores a Pagar a Sociedades Ligadas
75.961
-
75.961
Instrumentos Financeiros Derivativos
56.810
-
56.810
Passivo Atuarial
-
(99.324)
99.324
Dividendos a Pagar
2.617
-
2.617
Adiantamento de clientes
320.410
-
320.410
Demais contas a pagar
438.494
-
438.494
8.766.904
(280.976)
9.047.880
Empréstimos, Financiam. e Debêntures
6.826.966
-
6.826.966
Benefícios de aposentadoria (Passivo Atuarial)
1.064.781
(152.618)
1.217.399
Provisão para Contingências
368.820
-
368.820
Imposto de Renda e contrib. social diferidos
-
(128.358)
128.358
Instrumentos Financeiros Derivativos
305.402
-
305.402
Provisão para Recuperação Ambiental
95.373
-
95.373
Demais contas a pagar
105.562
-
105.562
-
(376.938)
376.938
16.861.412
888.450
15.972.962
16.484.474
511.512
15.972.962
Capital Social
12.150.000
-
12.150.000
Reservas e Lucros Acumulados
4.334.474
511.512
3.822.962
376.938
376.938
-
28.810.430 75.218 28.735.212
* Não auditado e de acordo com os CPC's vigentes em 2009
Balanço Patrimonial - Passivo e Patrimônio Líquido - Consolidado
R$ mil
Não Circulante
Passivo e Patrimônio Líquido
Circulante
Exigível a Longo Prazo
Participação dos acionistas não controladores
30/jun/10
Participação dos acionistas não controladores
Patrimônio Líquido
Patrimônio Líquido dos acionistas controladores
Total do Passivo e do Patrimônio Líquido
30/06/2010
31/03/2010
31/12/2009
31/12/2008
Patrimônio Líquido - Societário (*)
15.972.962 15.595.007 15.218.798 15.028.943
Correção do Imobilizado
371.123
378.311
388.466
437.161
Estorno amortização de ágio
100.289
100.289
100.289
100.289
-
Benefícios de aposentadoria (Passivo Atuarial)
251.942
251.942
251.942
366.092
IR e CS diferidos
(211.842)
(214.286)
(217.739)
(273.106)
Dividendos
-
-
72.367
233.844
Ajuste Total
511.512 516.256 595.325 864.280
Patrimônio Líq. dos acionistas controladores
16.484.474 16.111.263 15.814.123 15.893.223
Participação dos acionistas não controladores 376.938 368.947 355.406 86.541
Patrimônio Líquido - IFRS
16.861.412 16.480.210 16.169.529 15.979.764
* Não auditado e de acordo com os CPC's vigentes em 2009
Reconciliação do Patrimônio Líquido
R$ mil
background image
Resultados do 2T10 24





R$ mil
IFRS
Ajuste
Societário *
Receita Líquida de Vendas
6.629.434
-
6.629.434
Mercado Interno
5.658.076
-
5.658.076
Mercado Externo
971.358
-
971.358
Custo dos Produtos Vendidos
(5.103.207)
(15.305)
(5.087.902)
Lucro Bruto
1.526.227
(15.305)
1.541.532
(Despesas) Receitas Operacionais
(407.708)
3.132
(410.840)
Vendas
(172.036)
- (172.036)
Gerais e Administrativas
(245.932)
- (245.932)
Outras (Despesas) Receitas
10.260
3.132
7.128
Lucro Operacional antes das Desp.Fin.
1.118.519
(12.173)
1.130.692
(Despesas) Receitas Financeiras
(248.478)
(5.170)
(243.308)
Receitas Financeiras
160.858
(5.170)
166.028
Despesas Financeiras
(409.336)
- (409.336)
Participação em Controladas
121.139
-
121.139
Lucro (Prejuízo) Operacional
991.180
(17.343)
1.008.523
Imposto de Renda / Contribuição Social
(315.610)
5.897
(321.507)
Participação dos minoritários
-
17.912
(17.912)
Lucro (Prejuízo) Líquido
675.570
6.466
669.104
Atribuível:
Aos acionistas controladores
657.658
(11.446)
669.104
Aos acionistas não controladores
17.912
-
17.912
EBITDA
1.582.460
4.948
1.577.512
Margem EBITDA
23,9%
23,8%
* Não auditado e de acordo com os CPC's vigentes em 2009
Demonstração do Resultado - Consolidado - Acumulado
IFRS
1S10
1T10
2009
2008
Lucro Líquido - Societário (*)
669.104 325.608 1.343.580 3.224.433
Depreciação
(17.343)
(10.155)
(48.695)
(57.418)
Passivo atuarial
-
-
(114.150)
366.092
Amortização do Ágio
-
-
-
100.289
Gastos pré-operacionais
-
-
-
18.921
IR diferido
5.897
3.453
55.366
(111.382)
Ajuste Total
(11.446) (6.702) (107.479) 316.502
Atribuível aos acionistas controladores
657.658 318.906 1.236.101 3.540.935
Atribuível aos acionistas não controladores
17.912 9.880 2.429 15.360
Lucro Líquido - IFRS
675.570 328.786 1.238.530 3.556.295
* Não auditado e de acordo com os CPC's vigentes em 2009
Reconciliação do Lucro Líquido
R$ mil
background image
Resultados do 2T10 25
R$ mil
1T10
2T10
1T09
2T09
3T09
4T09
Receita Líquida de Vendas
3.042.799
3.586.635
2.670.276
2.411.787
2.857.658
2.984.419
Mercado Interno
2.508.448
3.149.628
2.215.691
2.047.367
2.342.754
2.489.758
Mercado Externo
534.351
437.007
454.585
364.420
514.904
494.661
Custo dos Produtos Vendidos
(2.342.919)
(2.760.288)
(2.365.392)
(2.222.253)
(2.533.991)
(2.318.646)
Lucro Bruto
699.880
826.347
304.884
189.534
323.667
665.773
(Despesas) Receitas Operacionais
(194.264)
(213.444)
(257.000)
(217.480)
(149.519)
131.175
Vendas
(75.455)
(96.581)
(68.650)
(65.899)
(70.971)
(78.619)
Gerais e Administrativas
(123.460)
(122.472)
(100.051)
(122.020)
(110.704)
(123.529)
Outras (Despesas) Receitas
4.651
5.609
(88.299)
(29.561)
32.156
333.323
Lucro Operacional antes das Desp.Fin.
505.616
612.903
47.884
(27.946)
174.148
796.948
(Despesas) Receitas Financeiras
(119.617)
(128.861)
(103.672)
539.585
200.439
(67.653)
Participação em Controladas
53.588
67.551
(89.793)
2.933
169.504
84.914
Lucro (Prejuízo) Operacional
439.587
551.593
(145.581)
514.572
544.091
814.209
Imposto de Renda / Contribuição Social
(110.801)
(204.809)
(8.552)
(179.462)
(111.394)
(189.353)
Lucro (Prejuízo) Líquido
328.786
346.784
(154.133)
335.110
432.697
624.856
Atribuível:
Aos acionistas controladores
318.906
338.752
(150.323)
332.771
431.036
622.617
Aos acionistas não controladores
9.880
8.032
(3.810)
2.339
1.661
2.239
EBITDA
710.677
871.783
336.296
139.224
416.841
822.930
Margem EBITDA
23,4%
24,3%
12,6%
5,8%
14,6%
27,6%
2010
2009
Demonstração do Resultado - Consolidado
IFRS